CONTOS & LENDAS
A ARTE DE enCANTAR
na LITERATURA POPULAR PORTUGUESA

por JORAGA o acrónimo de JOsé RAbaça GAspar e outros mais de 1001 deNÓMIOS...

contacto © joraga ®

LLL in MGiacometti

CONTOS & LENDAS

Serra da Estrela

ALENTEJO
uma TEIA infindável de Contos & Lendas

 

12 - TRADIÇÃO - SERPA - Revista de 1899 - 1904

ALMA ALENTEJANA – área de Estudos sobre o Alentejo.

LISTA DE AUTORES E OBRAS - notas

 

CONTOS E LENDAS DO ALENTEJO em Diversas Obras e Autores, para estimular a recolha, estudo e divulgação dos Valores Culturais do ALENTEJO –

12 – TRADIÇÃO – SERPA – Revista de 1899 – 1904

ed. Em Fac Símile , Câmara Municipal de Serpa, 1982, com a participação do Conde de Ficalho. Recolha, em Elvas de 69 CONTOS, Thomaz Pires e outros, num total de 92 CONTOS E LENDAS

CONTOS POPULARES DO ALENTEJO
(Guião
para organização de Colectânea de Contos publicados na revista TRADIÇÃO de SERPA -1899 - 1904)
Almada, Alma Alentejana, 2009.08-09...

1. recolhidos por ANTÓNIO ALEXANDRINO:

 Ano I - 1899 série I 2ª ed. 1982

ordem

Título

Terra

Página

 

  1.  

I

O Compadre Bernardo (e a comadre morte...)

Brinches

29 e 30

  1.  

II

O Lobo e a Zorra (... e a esperteza da raposa...)

Brinches

45.46 e 47

  1.  

III

Dois galegos encontrando-se (Galegos - para os alentejanos - são todos os do Norte... Beiras...)

Brinches

47

  1.  

IV

O Pedro Malas-Artes (com muitas versões populares...)

Brinches

60.61.62.63

  1.  

V

O Lobo e as três fortunas (... marcador de extremas... alveitar de bestas... batizador de porcos...)

Brinches 

76 e 77

  1.  

VI

A morte de três galegos (afinal cada um desdenha dos outros...)

Brinches

77 e 78

  1.  

VII

O grão de milho («Se matar o boi Lobato, eu lhe darei dinheiro para três ou quatro...»

Brinches

95 e 96

  1.  

VIII

A Zorra e a Cegonha (Afinal quem é mis esperto? Ver fábulas...)

Brinches

111 e 112

  1.  

IX

O Era e não Era (uma mentira maior que o Padre Nosso)

Brinches

143-144,

  1.  

X

Três Galegos querendo falar à política (A fala dos outros é estranha...)

Brinches

190-191

 

Ano II 1900

 

  1.  

XI

O Zé Valente (... vai correr mundo... cheio de aventuras...)

Brinches

29-30 e 45-46

  1.  

XII

Animais fugindo à morte (o galo... o pato... o peru... o cão... o carneiro... o gato... "a união faz a força"...)

Brinches

107-109

  1.  

XIII

O Diabo e a Sogra (Até o diabo foge da sogra!!!)

Brinches

142-143 e 191

 

Ano III 1901

 

  1.  

XIV

O Hortelão e o Moço (o aprendiz de feiticeiro... o bago de romã muda em zorra que come as galinhas...)

Brinches

45, 46 + 63, 64 + 77,78

  1.  

XV

O Monte da Má-Hora (Ver outras lendas... o irmão mais novo é o mais valente...)

Brinches

138, 139, 140, 141 + 155, 156,157, 158

 

2. de Luiz Fredrico, 11 anos: in Ano III (1901)

 

  1.  

 

Era-Não-Era (Imensas versões em cada região...)

Odivellas do Alentejo

124, 125

 

3. de D. Nicoláo Diaz y Pérez (Madrid) recolha de 1867: in Ano IV (1902)

 

  1.  

A Moura Salúquia (LENDA do seculo XIII - Moura)

(Moura) Madrid

24, 25, 26 + 55,56,57

 

4. de Dr. Ladislau Piçarra, Serpa 1897: in Ano VI

 

  1.  

 

O Milagre da Troncanita (Caso? - Milagre? - Serpa)

Serpa

25-26

  1.  

 

A Cobra da Quinta do Fidalgo (Lenda - Ana a Fidalga - Serpa)

Serpa

70-71

 

5. de A. Rosa da Silva - Pedrógão do Alentejo LENDAS LOCAES in IV Ano 1902:

20.   Sino de S. Lourenço (Lendas locais I) Pedrogão do Alentejo 60
21. As Pedras das Bruxas (Lendas locais II) Pedrogão do Alentejo 60, 61
22. As Mouras Encantadas (Lendas locais III) Pedrogão do Alentejo 61

6. de Alfredo PRATT - in IV ano 1902

  1.  

 

Os doze de Inglaterra – (só estudo e propostas? …)

da Tradição europeia?! ... Lusíadas...

p. 17, 18, 20, 22, 23 + 33, 34, 36, 38 + 65, 66, 68, 70 + 97, 98, 100

7. de A. Thomaz Pires (Contos Populares Alentejanos) Recolhas região de Elvas

IV Ano (1902)

  1.  

1

Graças a Deus para sempre... ou o Homem ruim - de barriga cheia...

Elvas

141, 142

  1.  

2

A Fada Mouca (remeter para a Bruxa e o Caldeirão... e A Galinha dos Ovos de Ouro)

Elvas

142, 143

  1.  

3

A Priceza Encantada (Afinal, o rapaz bruto é que sabia responder...)

Elvas

143

  1.  

4

O Padre ridículo (era servido de graça, mas o estudante ganhou a aposta...)

Elvas

156, 157, 158

  1.  

5

O Gallo (Queri dar o tesouro a quem mais o merecia... O Rei, não...)

Elvas

158

  1.  

6

A Raposa (que normalmente aparece como a história do macaco do rabo cortado - ou o macaco e a viola)

Elvas

159-159

  1.  

7

Letras e Tretas - uma mentira maior que um Padre Nosso...

Elvas 

174, 175

  1.  

8

A viuva (a evocar a Viúva Alegre)

Elvas

175, 176

 

V Ano (1903)

 

  1.  

9

A gulosa - (o pescador, o rei dos peixes... e as 4 bonecas...)

Elvas

14, 15

  1.  

10

A velha (como uma velha amarracada se livra de um ladrão...)

Elvas

15

  1.  

11

Quem tirou o olho à Rainha? (Responde a Catharina: - "Bem haja quem lh'o tirou, que fui eu".

Elvas

15,16

  1.  

12

O Boi barrabil (pode ser visto em vídeo e animação...)

Elvas

31

  1.  

13

A sogra enganada (A violência familiar!!!)

Elvas

31, 32

  1.  

14

Faze tu bem, não cates a quem (o diabo coxo)...

Elvas

32

  1.  

15

O sonho -(relacionado com o pássaro verde... e à frente o nº17 - O passarinho verde)

Elvas

40, 41

  1.  

16

O baguinho de milho - e outras versões

Elvas

41, 42

  1.  

17

O passarinho verde (relacionar com o nº 15 - O SONHO - e...)

Elvas

42, 43

  1.  

18

O camponez - (ver tb. as Hidtórias do Oriente de Pearl S. Buck...

Elvas

43

  1.  

19

Não me cortes o cabelo que meu pai me penteou - (com filme em 2002 e mais análises...)

Elvas

43,44

  1.  

20

As pretas - (ver tb pistas para desenvolver o tema...)

Elvas

44

  1.  

21

O parvo - (... e o marido enganado...)

Elvas

44, 45

  1.  

22

O baguinho de romã (e um aprendiz de feiticeiro...)

Elvas

45, 46

  1.  

23

O compadre Fachica - (o vizinho sapateiro... da preta viúva...)

Elvas

46

  1.  

24

Eu pequei com um moço (... com um velho e com um frade...)

Elvas

46,47

  1.  

25

Canta, surron, canta - (ou a Menina dos brincos de oiro...)

Elvas

47

  1.  

26

Fezes e postemas - (Ver o estranho destas palavras...)

Elvas

47

  1.  

27

As macacas (o marranita, afinal... é que vence!!!)

Elvas

60

  1.  

28

O diabo também não é mau… (até faz de advogado...)

Elvas

61, 62

  1.  

29

S. Benedicto (O Santo Mouro...) (Viúva rica / solteira não fica)

Elvas

62

  1.  

30

Os trez gallinhos (ouvir, ver e calar...)

Elvas

62

  1.  

31

O gigante (e o COLHEREIRO - artesanato...)

Elvas

62, 63

  1.  

32

Os Gallegos (nome dado a todos do norte - ver anteriores:III - Dois gallegos; e X - Três Gallegos...)

Elvas

63

  1.  

33

O lavrador (Fantasmas: Quando nós éramos vivos, andavamos aqui aos figos)

Elvas

63, 64

  1.  

34

Ide aos sapatinhos (os ladrões disfarçados...)

Elvas

64

  1.  

35

O copo d'oiro (a relacionar com «A Taça do Rei de Tule»... e...)

Elvas

71,72

  1.  

36

A bicha (e a menina que fazia ouro...)

Elvas

72, 73

  1.  

37

O alveneu (o pobre pedreiro que o rei queria fazer rico...)

Elvas

73 74

  1.  

38

Os dois compadres (um rico e outro pobre...)

Elvas

74, 75

  1.  

39

O parvo (O manoel que namorava a Maria...)

Elvas

75 - 77

  1.  

40

Dona Vintes (Ver tb «A Maria Sabida»...)

Elvas

77, 78

  1.  

41

O Zé Estragado - (o soldado que engana o diabo...)

Elvas

78, 79

  1.  

42

O ladrão (Ver tb o Gigante: 54_31...)

Elvas

140-141

  1.  

43

O piolho (outras versões mais divulgadas, como o Piolho do Rei...)

Elvas

142

  1.  

44

A preguiçosa (a remeter para a gastronomia... e as voltas que dá o LINHO...)

Elvas

142, 143

  1.  

45

O príncipe porquinho (o Príncipe Porco... ilustrações de Paula Rego... sapatos de ferro hás-de romper...)

Elvas

143, 144

  1.  

46

O mouco (... os mal entendidos... e Lázaro...)

Elvas

 

  1.  

47

Os sete veados (que pode remeter para a Branca de Neve e os Sete Anões?!!!)

Elvas

172, 173

  1.  

48

D. Buenos (e a princesa que fica esquecida... numa pedra... numa árvore... a remeter para Branca Flor... e...A Menina e a Preta...)

Elvas

173, 174

  1.  

49

Abre-te flor de liz (a remeter para «Abre-te Sesamo... e os Compadres: Rico e Pobre...)

Elvas

174

  1.  

50

O pirolito (... a mãe fez do pirolito um guisado e mandou a pirolita ir levar o jantar ao pai...)

Elvas

174, 175

  1.  

51

Gri, alerta, ladra (o rapaz que roubava o chouriço do jantar que levava...)

Elvas

175

  1.  

52

O Príncipe encantado (... o passarinho transformou-se em príncipe...)

Elvas

175, 176

  1.  

53

Eu vi-te, tu não me viste (A princesa presa numa torre... escava o sobrado com osso... escreve!!?... e encontra o seu príncipe...)

Elvas

176

  1.  

54

O afilhado do Rei (... aos 13 anos, como prometido... o jovem vai procurar o rei, mas... o careca é denunciado pelo sinal...)

Elvas

9, 10, 11

  1.  

55

Os três encantos (Afinal os 3 rapazes, noivos das 3 irmãs, eram reis encantados... e o irmão mais novo vai salvá-las...)

Elvas

11, 12, 13

  1.  

56

A filha do comerciante (O Príncipe gostava de Rosa... mas casou com uma princesa... 3 vestidos depois...)

Elvas

13, 14, 15

  1.  

57

As três irmãs (...eram três irmãos e três irmãs e...)

Elvas

 

  1.  

58

A boneca (que "fazia" libras... )

Elvas

28

  1.  

59

O sabor dos sabores (Afinal, a que sabe a comida sem SAL?...)

Elvas

28, 29

  1.  

60

Palmas verdes (...e o rei sympathisava muito com a condessa, mas ella era muito honrada.)

Elvas

29

  1.  

61

O Príncipe encantado (Eram três irmãs... o principe ficou encantado em passarinho... e...)

Elvas

29-31

  1.  

62

Assim o dizem (O almoço era cachola de porco... mas... ficou-se com o palito...)

Elvas

46

  1.  

63

O Zé Pequenino (O Zé - Valentão- afinal prende os Gigantes e vinga-se do irmão!!!)

Elvas

46, 47

  1.  

64

Dormitório (E disse à princesa: "Sapatos de Ferro heis de romper...")

Elvas

47

  1.  

65

Desanda palitroques (... o guardanapo dava o de comer... a burra, dinheiro... os palitroques resolveram...)

Elvas

63, 62

  1.  

66

O tonel de vinho ("Uma cruz ao pé do tonel vamos fazer,
Para que coisa ma o vinho do tonel não venha beber."
)

Elvas

79

  1.  

67

A desmazelada (a mulher nem uma açorda sabia fazer... mas, lá teve de aprender...)

Elvas

79

  1.  

68

A menina apparecida (o rei perdido assiste ao nascimento da que vai ser a rainha... apesar de ele não querer...

Elvas

94, 95

  1.  

69

O mateiro (O mateiro estava a cortar o ramo errado... e até fica a saber quando vai morrer... o burro é que sabe.)

Elvas

95

 Nota: Ver, ainda in TRADIÇÃO, a necessidade e oportunidade de outras selecções e colectâneas a fazer, como “Poesia Popular”, “CANTE”, (modas com pauta), “Lengalengas” etc. que possam interessar a Linguística, Sociolinguística e outros estudos relacionados com o Português e Literatura Infantil.

 Escola do Magistério Primário, Beja, Maio Junho de 1986

Alma Alentejana, Almada, Agosto Setembro... Dezembro de 2009

 

E-Mail: joraga@netcabo.pt e joraga@netc.pt
pelo telefone 212553223 ou pelos Telmv. 919777714 e 91 763 25 24
e pelo CORREIO: Avenida Amélia Rey Colaço, 5, r/c Esqº - 2855-500 CORROIOS.
visite ainda a minha TEIA na REDE além de joroga.net - joraga/alice/osrabaca/serradaesrela/gilvicente/cart2326/

Compatível com IE/Netscape na resolução 800x600
Joraga 2000 em viagem