GENTE DE MANTEIGAS


contacto © joraga ®.

Afinal quem é
PAULO LUÍS MARTINS?

Gente de Manteigas in G+, de José Paiva Tacanho

FIGURAS HISTÓRICAS
de MANTEIGAS in «ANTOLOGIA»,
de José Lucas Baptista Duarte
1985
PRESIDENTES de CÂMARA
de 1910 a 2017 e AQUI
AUTORES e LIVROS e AQUI
de Gente de Manteigas
in TOPONIMIA, e AQUI
de José David Lucas Batista
in CONTOS SERRANOS,
de Dr. João Isabel e AQUI
in POIOS e PROSA
de António Leitão (PDF?)
in AQUELE PROFUNDO VALE, de José Cleto Estrela e AQUI

JOAQUIM PEREIRA DE MATTOS
(1) (1853 02 27 - 1909 03 28)

in ANTOLOGIA I - Depoimentos histórico-Etnográficos sobre MANTEIGAS e SAMEIRO, de José Lucas Baptista Duarte, 2ª ed., Câmara Municipal de Manteigas, 1985. pp. 109 - 113.

-- Notas biográficas e genealógicas --

Nasceu em Manteigas, a 27 de Fevereiro de 1853, e foram seus pais José Pereira de Mattos, (2 ) nascido em Manteigas a 7 de Outubro de 1820, e D. Josefa Leitão, recebidos a 9 de Agosto de 1845, e foram senhores da casa da Capela, nas Caldas de Manteigas.

Neto paterno de Manuel Miguel de Mattos (3 ) (filho de Miguel de Mattos e Paiva e de sua mulher Antónia Lopes da Costa) e de sua mulher Maria Pereira, casados a 4 de Dezembro de 1813, esta, filha de Manuel Lopes Arraeano Monteiro e de sua mulher Brígida Pereira; e neto materno de José Botelho Serra e de sua segunda mulher Clemência Leitão, recebidos a 19 de Julho de 1827, o primeiro, filho de Manuel Botelho Serra e de sua mulher Maria Jorge, e a segunda, filha de José António da Silva Roque, (4 ) cirurgião e Juiz Ordinário em Manteigas, e de sua mulher Theodósia Maria Leitão de Carvalho, esta, filha de João Luís de Carvalho (5 ) e de sua mulher Maria Leitão Saraiva, e neta materna de António Saraiva Leitão, (6 ) nascido em Santa Maria de Manteigas, a 5 de Dezembro de 1693, e de Maria Gomes, ele, filho de Francisco Saraiva, natural de Santa Marinha (irmão, entre outros, de Fernando Saraiva, Capitão-mor de Manteigas, casado com Helena Massano (como atrás foi referido), e de sua mulher Maria Leitão, (7 ). Francisco Saraiva foi filho de Domingos Saraiva, Cavaleiro da Ordem de Cristo e Senhor da Pisaria, em Santa Marinha, e de sua mulher Brites Álvares de Paiva, de Santa Marinha; neto, por varonia, de João Saraiva, de Trancoso, e de sua mulher Isabel do Couto Pessoa, e bisneto de Afonso Saraiva Lucena e de sua mulher Helena da Cunha.

Joaquim Pereira de Mattos casou a 29 de Julho de 1878, em São Pedro de Manteigas, com D. Maria do Carmo da Cunha Lemos, Senhora da casa da Praça, em Manteigas, e na sua Casa-Solar, em São Gabriel, foram hóspedes, em 10 de Agosto de 1906, os Príncipes Reais Dom Luís Filipe e Dom Manuel, este, que mais tarde viria a ser o último Rei de Portugal.

Foi D. Maria do Carmo da Cunha Lemos irmã de José Augusto da Cunha Almeida e Lemos, que foi senhor de grande património, das quintas das Caldas, das Regadas e da Enxertada, em Manteigas, além das que possuía noutras terras como Vale de Amoreira, Valhelhas, Belmonte, Guarda e Coimbra. Era filho, único varão, de João Bernardo da Cunha Martins, nascido a 14 de Setembro de 1837, baptizado em Santa Maria de Manteigas pelo Pároco da freguesia Reverendo José Ramos de Carvalho, a 8 de Outubro do mesmo ano, apadrinhado por seu tio paterno, Bacharel em Direito, João Bernardo da Cunha, e por sua irmã D. Maria do Carmo da Cunha Martins; neto, por varonia, de José António da Cunha, baptizado em 17 de Dezembro de 1801, em São Julião, de Gouveia, e de sua mulher D. Maria do Carmo Martins Serra, casados em Santa Maria de Manteigas, a 20 de Julho de 1822, ele natural, de Gouveia, e ela de Manteigas.

José António da Cunha desenvolveu nas suas terras, junto ao Zêzere em Manteigas, uma importante indústria de tecelagem, e este terá sido (ou foi mesmo) o principio da indústria de que, mais tarde, um continuador Joaquim Pereira de Mattos, cujos descendentes em grande número, viriam a constituir-se, em tempos mais recentes na importante firma que foi Mattos Cunha, Limitada - São Gabriel.

Joaquim Pereira de Mattos faleceu a 28 de Março de 1909.

Nota -- - Serviu de fonte de informação de grande parte destes dados "MOUZINHO DE ALBUOUEROUE", de FERNANDO DE CASTRO PEREIRA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE E CUNHA, de Geografia de Lisboa.

Notas Biográficas:
(1) - Presidente da Câmara Municipal de Manteigas.
(2) - Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Manteigas.
(3) - Procurador da Câmara Municipal de Manteigas em 1830 e condecorado com a Medalha da Real Efígie de D. Miguel l.
(4) - Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Manteigas.
(5) - Juiz Ordinário e Vereador em Manteigas.
(6) - Juiz Ordinário e Vereador em Manteigas.
(7) - Maria Leitão, casada com Francisco Saraiva, era filha de João de Matos Paes e Maria Leitão, casados em Novembro de 1646, sendo ele irmão inteiro de Tomé Paes, baptizado em São Pedro de Manteigas em 29 de Dezembro de 1622, pai do Frei António da Espectação, tal como consta da biografia deste, que foi, pois, colateral remoto de Joaquim Pereira de Mattos.

JOAQUIM PEREIRA DE MATTOS
O Grande Industrial

"Desde muito novo sentiu uma verdadeira vocação pela vida industrial de lanifícios, abraçada também por seu pai, que fora em Manteigas um dos precursores desta indústria, montando, com outros, no ano de 1856, a Fabrica do Engenho do Rio.

Apesar de ficar órfão muito novo, não tardou a revelar-se prematuramente um autêntico espírito de organizador, como prova o incremento metódico e progressivo com que impulsionou os serviços da casa que dirigia.

No ano de 1881 ocupava já o primeiro lugar no meio industrial manteiguense, proporcionando trabalho a 60 operários, com a produção média anual de 21.500 metros de vários tecidos de lã.

Espírito moderno e empreendedor, não se atemorizava com os aterradores orçamentos que costumam fazer ruir os planos duma grande organização industrial e, assim, no ano de 1890 a sua fábrica encontrava-se completamente remodelada, com maquinismos apropriados em todas as secções inerentes à indústria de Lanifícios.

A fábrica de S. Gabriel tornou-se, pois, uma das fábricas de Portugal bem organizadas - senão a melhor -- ocupando diariamente aos seus serviços uma media de 100 operários, isto é, a quinta parte do pessoal utilizado pela indústria manteiguense. O seu lavadouro mecânico e serviço de acabamento ainda hoje são dos mais perfeitos entre os similares existentes no país.

Joaquim Pereira de Mattos era o verdadeiro tipo de industrial inteligente e empreendedor. Idealizara a organização duma fábrica moderna e dignificadora, e como estava persuadido de que nada se poderia alcançar de perfeito sem que os elementos directivos fossem verdadeiras capacidades técnicas, mandou instruir alguns dos seus filhos no estrangeiro, nas diversas especialidades abrangidas pela complexa indústria de tecidos.

Nos seus processos administrativos e de organização adivinhavam-se as ideias embrionárias de Taylor e Fayol.

Pode afirmar-se afoitadamente que Joaquim Pereira de Mattos foi um precursor, no nosso país, da organização científica do trabalho, e a sua fábrica seria uma das mais belas organizações industriais de Portugal se a morte o não rouba aos 55 anos de idade.

Manteigas perdeu muito com o falecimento deste inteligente espírito industrial, que teria melhorado consideravelmente as suas condições de vida e de trabalho se a sua acção criadora e renovadora pudesse ter ido um pouco além do armistício.

Joaquim Pereira de Mattos faleceu em São Gabriel, no dia 28 de Março de 1909.

Nesse mesmo dia faleceu o mais lúcido espírito de organizador industrial nascido na vila de Manteigas"

Do E.B. N.º 108 - (29-7-1934)

NOTA DO COORDENADOR (JLBDuarte)

Digno é de salientar aqui um facto que liga Joaquim Pereira de Mattos à história do concelho de Manteigas.

Já atrás ficou devidamente assinalado que o Concelho foi extinto em 26 de Junho de 1896, ficando anexado ao da Guarda durante cerca de ano e meio pois viria a ser restaurado a 13 de Janeiro de 1898.

Em tai restauração, a tão curto prazo, diz-se que desempenhou papel fortemente preponderante Joaquim Pereira de Mattos, porquanto propunha-se o Grande Industrial adquirir e transferir para Manteigas uma importante unidade industrial de lanifícios radicada em Portalegre.

Devem ter-se movido fortes influências no sentido de tal transferência ser impedida, mas Joaquim de Mattos impôs como condição: para desistir do seu intento, que o concelho de Manteigas voltasse a ser restaurado, o que veio a verificar-se na data acima referida.

Aqui: se assinala a efeméride de grande significado para o concelho para a qual decerto não deixou de ter forte influência a dinâmica do ilustre Manteiguense que assim ficou inscrito nos anais da história deste concelho - JOAQUIM PERIRA DE MATTOS.

Notas e actualizações com dados de 2017...


Dr. António Augusto Pereira de Mattos (irmão? de Joaquim Pereira de Mattos

«http://genealogiapereiradematos.blogspot.pt/p/antonio-augusto-pereira-de-matos.html
(de Tiago Morim de Matos)
«António Augusto Pereira de Matos
António Augusto Pereira de Matos era filho de José Pereira de Matos e de Josefa Leitão. Nasceu no dia 5 de Setembro de 1869 em Manteigas. Foi médico, tendo após a formatura exercido durante 5 anos na Figueira de Foz, e posteriormente em Manteigas desde 1903 até ao seu falecimento, em 11 de Agosto de 1910, devido ao surto de tifo que atingiu a Vila.
---------------------------

http://genealogiapereiradematos.blogspot.pt/
Genealogia da família Pereira de Matos (de Manteigas, Guarda)
domingo, 6 de janeiro de 2013

Origem e genealogia da família Pereira de Matos (Manteigas, Guarda)
Neste blog é apresentada a origem e a genealogia da família Pereira de Matos originária da Vila de Manteigas, no distrito da Guarda.

Importa informar que parte da informação aqui colocada tinha já sido publicada, e posteriormente disponibilizada no site Geneall, e que os erros que esta continha e que detectei por consulta dos registos paroquiais estão já corrigidos neste blog. Aqui partilho também outros dados genealógicos que, tanto quanto sei, não foram ainda publicados, e que são o resultado da consulta que fiz de assentos paroquiais. Continuo a investigar a genealogia desta família e portanto novos dados irão sendo colocados neste blog.

A origem do apelido composto Pereira de Matos (desta família aqui apresentada, visto este apelido composto ter surgido várias vezes em Portugal) recua à descendência resultante do casamento entre Manuel Miguel de Matos e Maria Pereira.

Manuel Miguel de Matos & Maria Pereira

Filhos:
José Pereira de Matos (n. 07-09-1820; b. 15-09-1820, S. Pedro de Manteigas; f. 12-05-1877). Foram seus padrinhos de baptismo José Botelho Serra e sua mulher Maria da Graça. Casou (c. 09-08-1845, S. Pedro de Manteigas) com Josefa Leitão. Tiveram descendência.

ANTEPASSADOS DE MANUEL MIGUEL DE MATOS E DE MARIA PEREIRA

Estes esquemas assim como os outros apresentados neste blog foram realizados utilizando o software de uso livre Family Tree Builder (de MyHeritage).

Geração de Pais
Manuel Miguel de Matos era filho de Miguel de Matos de Paiva & Antónia Lopes da Costa (c. 25-02-1783, S. Pedro de Manteigas).

Maria Pereira era filha de Manuel Lopes Arraiano Monteiro & Brígida Pereira (c. 22-07-1775, S. Pedro de Manteigas).

Geração de Avós
Miguel de Matos de Paiva era filho de Rita de Paiva & ? (pai incógnito, segundo consta no seu assento de baptismo).

Antónia Lopes da Costa era filha de Manuel da Costa & Maria Rosa.

Manuel Lopes Arraiano Monteiro era filho de António Monteiro & Catarina Lopes.

Brígida Pereira era filha de José Lopes Pereira & Helena Gomes Soares.

Geração de Bisavós

Rita de Paiva era filha de Manuel de Paiva & Ana Rodrigues.

Manuel da Costa era filho de Maria Rosa era filha de António Monteiro (n. Vila Garcia - lugar de Cairrão -, Guarda) era filho de José Monteiro & Maria Fernandes (c. 31-01-1707, Vila Garcia, Guarda).

Catarina Lopes (n. Rochoso, Guarda) era filha de Domingos Lopes & Catarina Gonçalves.

José Lopes Pereira era filho de Helena Gomes Soares era filha de

Geração de Trisavós

Manuel de Paiva era filho de

Ana Rodrigues era filha de
... era filho de
.... era filha de
.... era filho de
.... era filha de

José Monteiro (n. Vila Garcia - lugar de Gairrão -, Guarda) era filho de João Monteiro & Maria Lourença.

Maria Fernandes (n. Vila Garcia - lugar de Gairrão -, Guarda) era filha de António Fernandes & Catarina Gonçalves.
Domingos Lopes era filho de
Catarina Gonçalves era filha de
... era filho de
.... era filha de
.... era filho de
.... era fllha de

Publicada por Tiago Morim de Matos à(s) 1/06/2013 05:49:00 da tarde

--------------------------------

http://genealogiapereiradematos.blogspot.pt/p/josefa-leitao-antepassados.html
Genealogia da família Pereira de Matos (de Manteigas, Guarda)

Josefa Leitão (Antepassados)
Josefa Leitão (n. 13-11-1827, S. Pedro de Manteigas; f. 21-06-1911, S. Pedro de Manteigas) era filha de José Botelho Serra (n. 17-11-1780, Manteigas) e de Clemência Leitão (n. 19-11-1793), neta paterna de Manuel Botelho Serra (n. Manteigas) e de Maria Jorge (n. Manteigas), neta materna de José António da Silva Roque e de Teodósia Maria Leitão de Carvalho.

Os seus avós paternos, Manuel Botelho Serra e Maria Jorge, casaram a 08-06-1771 na freguesia de S. Pedro de Manteigas. Os seus avós maternos, José António da Silva Roque e Teodósia Maria Leitão de Carvalho, casaram a 13-01-1794.

Os seus bisavós João Luís de Carvalho e Maria Craveiro Leitão casaram a 13-08-1747 na freguesia de Santa Maria de Manteigas.

Os seus bisavós Luís Botelho e Ana Lopes Serra casaram a 20-09-1740 na freguesia de Santa Maria de Manteigas.



---------------------------

Ver ainda
http://museuvirtual.activa-manteigas.com/index.php/places/patrimonio-industrial/a-evolucao-da-industria-em-manteigas-2/

A Evolução da Indústria em Manteigas

e ainda uma imagem da descendência de Joaquim Pereira de Mattos


Foto da Família da Fábrica de Lanifícios Matos Cunha, Manteigas, S. Gabriel.
A identificar de trás para a frente, da esq. para a dirt, feita por Maria Teresa Rabaça Gaspar, filha de Elísio Rabaça Gaspar e Maria dos Prazeres Paiva Rabaça:

Fila de homens, em pé:
1 Leopoldo da Cunha Matos , 2 António da Cunha Matos (de chapéu, de alcunha "o milímetro"?), 3 Joaquim da Cunha Matos (pai), 4 João Bernardo da Cunha Matos, o Patriarca Patrão Mor, conhecidoà sucapa por "Olho de Grtilo", 5 Joaquim de Matos (O Quinzinho Matos - filho), 6 Luís da Cunha Matos;

Fila de Senhoras, sentadas:
1 D. Madalena (esposa Leopoldo), 2 D. Maria (esposa António), 3 D. Cristina, 4 Avó Carmo (Mãe dos CMatos? seria ? a esposa do grande empreendedor Joaquim Pereira de Mattos falecido em 1909 03 28!),
5 D. Amélia (esposa de João, a Grande Senhora dos MC) 6 D. Clarinda (esposa Joaquim pai)), 7 D. Laura da Cunha Matos (esposa Luís);

Fila dos mais jovens sentados à frente:
1 D. Maria (do Carmo) Isabel (irmã de Joaquim filho, filhos de Joaquim e esposa do Dr. Isabel);
2 Maria de Lurdes; 3 João; 4 António; 5 Madalena; 6 Leopoldo (filho) (5 filhos do Sr. Leopoldo e D. Madalena que tiveram tb 8 filhos. Faltam: Teresa, Eugénia (Geninha) e Fátima.

Escritório da Fábrica de Lanifícios Mattos Cumha, Manteigas.
Na foto: Elísio Rabaça Gaspar, Guarda-Livros
José Rabaça Serra - Contabislista
(Ao fundo, do lado direito era a porta do escritório privado do Sr. João Bernardo da Cunha Mattos - o Patriarca da Grande Família e PATRÃO da Firma Mattos Cunha.
(Álbum Elísio R Gaspar - 1907 - 1972)

«Visita da Família Real a Manteigas 1906 - Na Serra da Estrela a caminho de Manteigas. Ao volante o Príncipe Real D. Luíz Filipe. Atrás, o Infante D. Manuel (futuro Rei), o Visconde de Asseca e o Marquês de Lavradio. 10 de Agosto de 1906. Foi nesse mesmo dia, que foi inaugurada a intervenção no Complexo Fabril de S. Gabriel , firma "Joaquim Pereira de Mattos e Cunha" que passou a dispor de instalações e equipamentos modernos. A presença do Príncipe D. Luíz Filipe e Infante D. Manuel atestou a importância desta unidade no contexto da Indústria Portuguesa.» (Foto e informação de Nataniel Rosa)




«Elementos da Câmara Municipal de Manteigas e populares manteiguenses que foram ao encontro do Príncipe Real D. Luíz Filipe e Infante D. Manuel (futuro rei D. Manuel II) aquando da visita a Manteigas (Serra da Estrela) em 10 de Agosto de 1906 - com D. Manuel II em Manteigas.»
(Foto e informação de Nataniel Rosa - SerrEstrela Ldª, em 26 de Dezembro de 2015)

joraga@netcabo.pt e joraga200@gmail.com ou zeraga@gmail.com

Compatível com IE/Netscape na resolução 800x600
aminhaTEIAnaREDE www.joraga.nethttp://museuvirtual.activa-manteigas.com/index.php/places/patrimonio-arqueologico/casa-das-obras/