GENTE DE MANTEIGAS


contacto © joraga ®.

Afinal quem é
PAULO LUÍS MARTINS?

Gente de Manteigas in G+, de José Paiva Tacanho

FIGURAS HISTÓRICAS
de MANTEIGAS in «ANTOLOGIA»,
de José Lucas Baptista Duarte
1985
PRESIDENTES de CÂMARA
de 1910 a 2017 e AQUI
AUTORES e LIVROS e AQUI
de Gente de Manteigas
in TOPONIMIA, e AQUI
de José David Lucas Batista
in CONTOS SERRANOS,
de Dr. João Isabel e AQUI
in POIOS e PROSA
de António Leitão (PDF?)
in AQUELE PROFUNDO VALE, de José Cleto Estrela e AQUI


(publida dia 2017 03 15 para o DIA DO PAI - de todos os PAIS - dia 19 de Março de 2017)
FAMÍLIA dos RABAÇA (desde 1780?)
(caso esteja interessado pode ver um livro em PDF de 200 pp. com os 8 ramos +)

Nesta imagem, provavelmente de 1890, os pais
António
e
Delfina
estão muito esfumados, na parte superior da fotografia.

(Como foi calculada a data?
A menina mais jovem, na imagem à frente, do lado direito de quem olha, é Maria José Rabaça, que nasceu em 1887 e aqui pode ter entre 3/5 anos!
Esta menina, que mais tarde veio a casar com José Ramos Roque, foi a 13ª filha deste casal, que segundo consta teve 21 filhos...)

Foto com 9 filhos de
António Craveiro Rabaça (1838 06 01)
Delphina da Apsenção (1840 02 03)

Identificação possível:

António
Delfina
(os pais muito diluídos, na parte superior da imagem)

Rostos visiveis dos que deram origem a 8 ramos, famílias espalhadas pelo mundo...:

1. Maria da Graça - 1862
os BISCAIA
2. Joaquim - 1864
os MOTA VEIGA
Cândida - (morreu jovem)
3. António - 1868
os CARVALHO (Rabacinha)
4. Eduardo - 1870
os PAIVA RABAÇA (1)
5. Clemência - 1872
os FRAGA
6. Encarnação - 1874
os PAIVA RABAÇA (2)
7. José - 1876
os BASTOS RABAÇA
8. Maria José - 1887
os RABAÇA ROQUE

O casal António e Delfina, que provavelmente casaram em 1860, pois a filha, aqui primeira, a Maria da Graça Craveiro Rabaça, foi já a 2ª filha - nasceu e 1862, deram origem a 8 ramos (FAMÍLIAS) desta CEPA RABAÇA

1780 / 1790?
Pais de Joaquim - Joaquim Craveiro Rabaça e Maria Ramos Leitão
Pais de Maria Matos - Manuel Lopes David e Maria Matos

1818?
Pais de ANTÓNIO: Joaquim Craveiro Rabaça e Maria Matos
Pais de Delfina da Apsenção - António Botelho Serra e Luisa da Apsenção


António Craveiro Rabaça e Delfina de Assunção (Ascensão?)

Seguindo o gráfico da planta RABAÇA rodando da parte
inferior esquerada no sentido dos ponteiros do relógio...

1

Maria da Graça Craveiro Rabaça

1

Maria da Graça

os BISCAIA
1. Maria da Graça - (1862), casou com Manuel Biscaia e deu origem à Família dos BISCAIA

Imagem para ilustrar... os BISCAIA

Escreve Carlos Esteves de Carvalho:
Á frente, Manuel Biscaia e Maria da Graça Rabaça.(Pais) no outro plano os filhos, da esquerda para a direita: António Rabaça, Prazeres Rabaça Biscaia, José Biscaia Rabaça e Maria José Rabaça Biscaia (a minha Avó).
Diz ainda: Fazendo contas, esta foto deve ser de 1907/1909
https://www.facebook.com/carlos.e.decarvalho

 


Família Esteves de Carvalho: Glória e António (António Esteves Carvalho - 1874 12 11 - 1933 11 02), pais dos Esteves Gaspar de Carvalho: Francisco, José, Miguel e Adelino?

Foto de 1916 ou 1918 ou 1920

Diz Carlos Esteves: «A pedido de vários Primos, aqui vai a fotografia original dos nossos Avós com todos os filhos ( o Tio Adelino ainda estava quentinho dentro da Avó Glória)!!!
Esta foto foi-me cedida por uma Prima e está na posse da única Esteves Gaspar de Carvalho ainda viva. Em troca, agradecia que os Primos que virem esta foto tentem identificar cada um dos Filhos e me enviem a resposta, Já tenho a minha identificação, mas não sei se está certa...»
Diz Isabel Esteves Carvalho: «Atrás em pé Tia Emília e Tio António á frente da tia Emília o Tio Miguel depois Tia Josefa, Pai José, Tia Luísa (ao colo) Tia Gabriela.» ?«Tio Miguel, Tia Josefa, Maria José Rabaça, Pe. António Nunes Sanches (tio Sanches)??? e Tia Emília.»

Rui de Carvalho diz: Os mais velhos e, por isso os mais altos lá atrás são a tia Emília e o tio António. Depois, em linha e da esquerda para a direita, o meu pai (Miguel) a tia Josefa, o tio José, a tia Luísa (ao co0lo da avó), a tia e minha madrinha Gabriela e o tio Francisco. (O tio Adelino estava para nascer.)

«Uma família grande que se multiplicou. O tio António teve um filho (Domingos), a tia Emília teve 3 (o António, a Emília e a Leonor), o meu pai teve dois (Rui e Maria Natália), a tia Josefa teve 3 (M Eduarda, Dita e J António), o tio José 3 (Fátima, Isabel e Carlos), a tia Luísa 1 (Dina), a tia Gabriela 2 (Luís Alberto e Maria Helena), o tio Francisco 2 (Fátima e Odete), o tio Adelino 2 (António Alberto e Francisco Adelino).»

Diz José Morais: «Desculpem de Eu dar a minha opinião sobre esta foto. É assim eu vou-me regular pelo nascimento do Sr. Francisco Esteves. Ele nasceu em 1908.Aqui na foto que se encontra ao lado do seu irmão António sendo este o mais Velho de todos aparenta a ter 10 ou 12 anos. Sendo assim esta foto deverá ser de 1918 ou 1920.Desculpem,até posso estar a fazer uma análise errada mas é está a minha convicção. Um abraço a toda a família Esteves.»

Maria José Biscaia Rabaça, (a 3ª), com 3 irmãos: O Tenente Coronel José Biscaia Rabaça, Prazeres e à direita (?)

Maria José Rabaça Biscaia (sentada) com Ida Bisacaia e Dr. Josá Esteves Gaspar de Carvalho

Casal Ida Biscaia e Dr. josé Esteves Gaspar de Carvalho: pais de:
Fátima, Isabel e Carlos

Maria de Fátima legendou:
«Eram assim quando eu nasci.
Eram os dois assim e não os consigo separar como pai:mãe…
Fazem parte do “meu” mito de Delfos :)»

Fátima

Isabel

Carlos

A Família (alargada) em 1916 01
Carlos e Helena (ao meio), com Isabel e Fátima (à esquerada), Ana Miranda e Tiago (à direita); André (no comando) e Tânia Saraiva, com as 4 crianças... (e aqui são 12!...)
2
Joaquim

os MOTA VEIGA
2. Joaquim Craveiro Rabaça - (1864) veio a casar com Eduarda Mota Veiga e deu origem à Família dos MOTA VEIGA, de Manteigas.
2

Joaquim Craveiro Rabaça

Joaquim Rabaça Mota Veiga - 1906 04 23 - 1997 01 09

«Nascido a 23 de Abril de 1906, o Comendador Joaquim Rabaça Mota Veiga, demonstrou desde logo um espírito aventureiro e empreendedor, pouco comum às gentes da época, deixando a terra natal ainda muito novo procurando em Angola alcançar um novo meio de vida.
A partir de 1945 muda a residência para Lisboa junto com a esposa, Josefa Esteves, mantendo sempre em Manteigas a casa onde tinha nascido. Mais tarde adquire em Manteigas a Quinta de São Fernando.
Procura ajudar a população de Manteigas mandando construir, na década de 50, o Bairro de São Domingos para família mais desfavorecidas.
Já na década de 60 manda construir o Externato Nossa Senhora de Fátima, tendo sido inaugurado em 1963. Ainda na década de 60 constrói o Beirai destinado a albergar órfãos e outras crianças desprotegidas.
Criou ainda uma conta bancária, cujos juros são todos os anos distribuídos pelos alunos que se distinguem nas escolas de Manteigas e entre outras entidades. Foi também um dos fundadores da SOTAVE fábrica têxtil. Passou o resto da vida em Manteigas junto da família até à data da sua morte a 9 de Janeiro de 1997.» in MM - revista da CMM - (2002 08)

Descerramento do Busto do Comendador

«Joaquim Rabaça da Mota Veiga

No dia 04 de Outubro, (2004) teve lugar junto à Capela de São Domingos, o descerramento do Busto do Comendador Joaquim Rabaça da Mota Veiga, na presença de diversas Entidades Oficiais, familiares, amigos e populares.
O Presidente da Câmara Municipal de Manteigas, José Manuel Custódia Biscaia, lembrou o Comendador e deu conhecimento aos presentes da deliberação tomada sobre o assunto na reunião do Executivo Camarário, do dia 22 de Outubro de 1997, que a seguir se transcreve:

"O Senhor Presidente deu conta ao Executivo do seu sentimento e convicção em distinguir a acção e a obra de um ilustre Manteiguense, falecido no decorrer do ano de 1997, o Senhor Comendador Joaquim Rabaça da Mota Veiga, propondo a alteração da designação do Bairro de São Domingos para Bairro Mota Veiga, perpetuando desta forma o nome de um Homem, com destacada relevância em termos sociais, nomeadamente no domínio da educação e assistência social.
Referenciou a propósito que na vida e na obra do Senhor Comendador Joaquim Rabaça da Mota Veiga há a realçar os seguintes aspectos:
Doação de uma verba, nos termos legalmente previstos, de forma a obrigar o Estado a criar e manter uma Cantina Escolar em Manteigas;
Doação da verba necessária para, considerando as comparticipações oficiais, permitir a construção do Lar da 3ª Idade da Misericórdia (1ª Fase);
Construção de 10 casas para o Património dos Pobres;
Construção do edifício do Colégio (1963), que estava ameaçado de encerramento por falta de instalações, afectando desde logo as respectivas rendas ao Beiral;
Construção do Beiral, destinado a recolher e educar crianças desprotegidas;
A sua propriedade, bem assim como a do Colégio, foi transferida para a Obra do Outeiro de S. Miguel, que assumiu a responsabilidade dessa missão; *
Criação de um Fundo, administrado pela Misericórdia, destinado a prémios escolares e subsídios a Instituições diversas.

Em Angola:
Entrega da verba de 35.000 contos ao Bispado de Benguela, destinado a viabilizar a criação da Santa Casa da Misericórdia de Benguela;
Criação de um fundo destinado a premiar os melhores alunos que em cada ano acabem os cursos de Engenharia e Medicina da Universidade de Luanda (passará para Benguela se lá viera haver uma Universidade).

A Câmara Municipal ponderou as circunstâncias apontadas e foi unânime em realçar a necessidade de reconhecer o mérito da obra de inegável alcance e de altruísmo assinalável que perdura nos nossos dias e se projecta para o futuro.
Colocados tais pressupostos, foi deliberado, por unanimidade, aprovar a proposta do Senhor Presidente e que, em local a designar, seja colocado um testemunho físico do nome e da obra do Senhor Comendador Joaquim Rabaça da Mota Veiga.»
in MM RevistaCMM
(2004 12)

 

 

 

 

outras imagens
Mota Veiga


(Esposa de Joaquim MV; D. Josefa (?) com a filha mais velha (?))

 

 

 

 

 


JoaquimAntonioCarvalho da Mota Veiga (filho do Comendador) - foi Presidente da Câmara de Manteigas - 1980 01_1982 12

(A Família Mota Veiga mais alargada é de Seia (para nós detrás de Serra)

Imagem para ilustrar...

Jacinto da Motta Veiga - 1804 05 31 (Seia)

3
António

3

António Craeiro Rabaça

os CARVALHO
3. António - (1868) Foi padre, mas veio a casar com Patrocínio Ravasco de Carvalho (de Gonçalo) e deu origem à família dos CARVALHO (que eram conhecidos cos os Rabacinha). (nota: no final da vida viveu só, em Manteigas, na Quinta onde depois foi a Secretaria dos serviços Florestais, e qundo morreu, (diz Maria Guilhermina Rabaça Roque), o Sr. Pe José Baylão Pinheiro disse ao povo: «Morreu um Santo!»

Imagem para ilustrar...

António Rabaça de Carvalho
(Filho deste casal em?)

4

Eduardo

4

Eduardo Craveiro Rabaça

os PAIVA RABAÇA
4. Eduardo - (1870) veio a casar com Mariana Lucas Paiva - irmã de Manoel Lucas Paiva que casou com a irmã de Eduardo, a Encarnação - ver nº 6 - e notar o curioso: os descendentes deste casais vieram a adoptar o nome de PAIVA RABAÇA... Este segue a norma comum: 1º apelido da esposa PAIVA e último o apelido do marido RABAÇA - No caso do nº 6 deu-se o contrário e ficaram também PAIVA RABAÇA... Porquê? Assim deram origem à família dos PAIVA RABAÇA (que emigraram para o Brasil e de quem temos pocos dados...) mas temos esta foto, datada de 1921 01 01...


Foto de 1921 01 01 com (direita para a esquerda: Eduardo, Mariana, com os filhos: Graça, Maria José, António, Cruz e (?)

5

Clemência

5

Clemência Craveiro Rabaça

os FRAGA
5. Clemência - (1872) que veio a casr com Zeferino de Almeida FRAGA e deu origem à Família dos FRAGA

Foto da Família NEVES FRAGA (do filho António de Almeida Fraga que casou com Patrocínio Neves...)

Da esquerda para direita: Maria de Lurdes (Milu), Patrocínio (mãe), AA Fraga (pai) com Teresa ao colo, José Neves Fraga, Beatriz (Tiz), Sara e Maria Helena.

Outro ramo - os da GRANJA - quinta dos Fragas

Maria da Graça Biscaia (1914 07 02 que chegou aos 101 anos) e José de Almeida Fraga pais dos irmãos FRAGA

José Gabriel, Nijó, Luís, Zeferino e Carlos (ainda veio mais o Fernando)

6

Encarnação

6

Maria da Encarnação Craveiro Rabaça

os PAIVA RABAÇA (deveriam ser RABAÇA PAIVA)
6. Encarnação - (1874) que veio a casar com Manuel Lucas Paiva e adoptaram para os filhos os apelidos dos PAIVA RABAÇA (2)

Foto memorável dos Paiva Rabaça (2 que seriam Rabaça Paiva?)

Montagem da foto seguinte com os dois filhos do casal que já se encontravam no Basil: O Mamuel e o António.

Foto de (? ca. 1920) para o tio José (1908 03 03) (o mais novo em pé) levar para o Brasil onde já estavam os dois irmãos mais velhos: Manuel (1900 06 28) e António (1902 05 13).
Na foto: sentados, esq. drtª: Maria da Graça Paiva Rabaça (1898 06 09 - casou com João Caetano Serra e deu origem aos Rabaça Serra - 6 irmãos...); Maria da Encarnação Craveiro Rabaça (1874 03 25), Manoel Lucas Paiva (1870) (cs. 1893 02 13);

Em pé, esq. drt.: Maria José Paiva Rabaça (1902 02 24, que casou com António Antunes Duarte, do Louriçal do Campo e deu origem aos Rabaça Antunes Duarte - 3 irmãos: Elisa, Encarnação e Carlos); José Paiva Rabaça (1908 03 03 que casou com Maria (espanhola) e não teve descendentes); Maria dos Prazeres Paiva Rabaça (1906 12 15, que casou com elísio Rabaça Gaspar e deu origem aos Rabaça Gaspar - 8 irmãos) a ver a seguir:
os RABAÇA GASPAR
À frente: Alice (1944 07 16), António Miguel (1947 09 29) , Maria dos Prazeres (mãe); Elísio Rabaça Gaspra (pai), Horácio (1949 05 27);
Atrás: José (1938 07 20), Vítor Manuel (1934 04 29), Maria Lúcia (1935 12 07) Elísio (filho - 1937 04 17), Maria Teresa (1941 11 20)
(falta António (1940 07 05 que morreu bebé)


os RABAÇA SERRA
atrás, em pé: Maria da Encarnação (1925 04 30 -), José (1928 10 11 - 2005 02 14), Maria Adelaide (1936 12 04), Maria da Assunção (1930 04 04 - 1993 07 22), Manuel (1934 08 08), Maria da Graça (mãe) João Caetano Serra (pai - conhecido como o Mestre Serra dos Serviços Florestais), Maria Alcina (1927 04 92 -)-, falta o Elísio (1933 02 28 - 2003 08 27), que tinha emigrado para o Brasil...


os Rabaça Antunes Duarte:
António Antunes Duarte (pai) Maria Elisa (1938 04 13), Maria da Encarnação (1940 06 21), Carlos Alberto (1943 09 21 - ), Maria José (mãe)

7

José

7

José Craveiro Rabaça

os BASTOS RABAÇA
7. José Craveiro Rabaça - (1876) que casou com Alice Bastos e deu origem aos BASTOS RABAÇA

Uma foto dos primos e vizinhos:
Família NEVES FRAGA e BASTOS RABAÇA


O casal José Craveiro Rabaça e Alice Bastos tiveram 3 filhos:


Maria Alice Bastos Rabaça - 1916 01 31
casou com Amilcar da Cruz Moura e tiversm ums filha: Ana Maria Rabaça da Cruz Moura (n.1939 11 23 - f. 2005 04 21) e casou com Álvaro Guerra, que tiveram: Ana Catarina Rabaça Moura Guerra (1963 07 14) que casou com Pedro Bastos Tadeu e tiveram Joana Rabaça Guerra Bastos Tadeu (1989 12 14)

Jose de Bastos Rabaça - (n. 1926 03 01 - f. 1998 03 11)
casou com Maria Helena Bastos Ferrão de Melo (1925 05 23 e tiveram: Maria Manuel de Melo Bastos Rabaça (1949 09 14) que, com João Gíria tiveram : Joana Rabaça Gíria, que casou com rogério Alves e tiveram Maria Rabaça Gíria Castanho Alves (1995 05 03) e Pedro Rabaça Gíria Castanho Alves (1997 07 16);
e 2ª filha: Maria José de Melo Bastos Rabaça (1951 07 17)


António Emídio de Bastos Rabaça (1928 05 27) que casou com Maria Maximino Alves de Castro e tiveram Pedro Manuel de Castro Bastos Rabaça (1958 01 26) que casou com Maria Leonor Coutinho e tiveram gémeos: Francisco Maria Sousa coutinho Bastos Rabaça e Sebastião Maria Sousa Coutinho Bastos Rabaça (1995 08 23);

e 2ª filha: Rita Alves de Castro Rabaça (1959 10 13) que casou com João Paulo Lacerda Marques e tiveram: Mafalda Castro Rabaça Garcia Marques (2000 12 28) e Leonor Rabaça Garcia Marques (2003 12 31)

8

Maria José

8

Maria José Carveiro Rabaça

os RABAÇA ROQUE
8. Maria José - (1887) que veio a casar com José Ramos dos Santos Roque e deu origem aos RABAÇA ROQUE

Foto do casamento de António Rabaça Roque e Maria José

Além dos tios e outros parentes e amigos será possível identificar os 6 irmãos: José Ramos Roque (o Zezinho da Loja Nova), Zeferino (Padre), Joaquim, Delfina, Guilhermina e António


José Rabaca Roque - in NM - Dezembro de 2013

Alguma IMAGENS EXTRAS
Alguns convívios dos Rabaça Serra + Rabaça Duarte Antunes + Rabaça Gaspar
Em 1996 06 08, por iniciativa do José de Bastos Rabaça, houve um grande CONVÍVIO, em Manteigas, onde estiveram cerca de 300 representantes de 7 ramos dos RABAÇA


Convívio dos Rabaça Serra + Rabaça Duarte Antunes e Rabaça Gaspar em 1990 10 06

1999 04 18 - 8º CONVÍVIO - onde estivaram 60 familiares, o mais concorrido dos 10 convívios que se realizaram até 2007

os 8 manos Rabaça Gaspar, em 1999 - Fratel
(António Miguel, Vitor, Alice, José Lúcia, Horácio, Teresa e Elísio)

2000 - 9º convívio, Curia (35 familiares)

2007 04 21 - Convívio em Coimbra


Os 8 manos RABAÇA GASPAR, em 2006 04 22, por ordem de idades:
Vítor, Lúcia, Elísio, José, Teresa, Alice, António Miguel, Horácio.

uma MOSTRA do Ramo do Pai Elísio Rabaça Gaspar e as 2 filhas de
Maria do Carmo Rabaça e Manuel Gaspar


Família Rabaça Gaspar:
Judite (1899-), Maria do Carmo Rabaça (mãe - 1875 10 13 - 1954 02 13), Elísio (1907 08 09 - 1972 10 20), Manuel Gaspar (pai 1876 10 14 - 194203 21), Maria Amélia (1909 -)


Família Rabaça Gaspar Quaresma
Maria Amélia (mãe), Fátima (1944), Francisco (1938?), Glória (1948), Laura (1940?) Teresa 1942?), Manuel Quaresma (pai


Família Rabaça Gaspar Quaresma à esq, com a Avó Maria do Carmo Rabaça (ao meio) com a Família Rabaça Gaspar à direita, para levarem como recordação para o Tio Manuel Quaresma que chamou toda a família para o Brasil.

joraga@netcabo.pt e joraga200@gmail.com ou zeraga@gmail.com

Compatível com IE/Netscape na resolução 800x600
aminhaTEIAnaREDE www.joraga.nethttp://museuvirtual.activa-manteigas.com/index.php/places/patrimonio-arqueologico/casa-das-obras/