Serra da Estrela - Manteigas

in joraga.net aminhaTEIAinterminávelnaREDEilimitada

um ANDARILHO em viagem pelas
7 partidas... 7 jornadas... 7 mundos... 7 mares... 7 temas... 7 espaços... 7 tempos...

por JORAGA o acrónimo de JOsé RAbaça GAspar e outros mais de 1001 deNÓMIOS...

contacto © joraga - ® em construção desde Maio 2000 in joraga2000 - em rec. Outubro de 2002

Corropios, Cardinchas e Cães Grandes - José Paixão - 2012 08

um diaporama para uma leitura com imagens (repetido em baixo, dia 2012 08 03

2012 08 07...
proposta 04 - de jorga.net - PERSONAGENS
... uma olhadela pelos PERSONAGENS com uma espantosa GALERIA de NOMES típicos de Manteigas...

3. Personagens (Completar as características mais salientes de cada um…)

- Personagem Principal – Alexandre

Alexandre
9 … nasceu de uma relação entre sua mãe Zulmira e um senhor endinheirado…

- Arminda

21… a rapariga que trazia de baixo de olho… 93…aprendiz de costureira com a ti Rosalina…
28 …pedida em namoro por Alexandre antes de ir para a tropa… 32
93 …tinha 20 anos … Tem dezanove a caminho dos vinte (111) …não dava para preparar o enxoval (93)… …ir pedir para a admitirem numa das fábricas… mais de uma dezena na época… (94) …237 carta de Arminda...

3.1 Personagens - secundários/ (principais) – com forte presença:

– Zulmira,
9 …mãe de Alexandre (que o teve se um senhor endinheirado…)

- Afonso
11 …Alexandre foi ensinado a chamar padrinho a Afonso, marido de sua mãe.
297– … o pai dos outros três filhos de Zulmira (José, Isilda e Albino)

- Maria do Carmo
30– mãe de Arminda…

- Manuel Tiago
30 …pai de Arminda…

3.2 Personagens - secundários:
- José, (já com 15 anos – p. 18) Isilda e Albino- os três filhos de Zulmira e Afonso, OS "IRMÃOS" de Alexandre...

- Graciosa – irmã da Arminda
302 … vendo o espanto do namorado da irmã…
22- Jacinto – irmão de Arminda

- Joaquina
36 …amiga de Arminda, aprendiz de urdideira… 15 anos…

- Rita
120… 139…– o engate de Alexandre em Lisboa… 141… a primeira vez!... 254 …alívio! Vieram as regras… …264 a despedida…

– os apurados na lista:
15 - Zé Carreira e o Tonho Ribeiro... são uns vinte...

16 …vamos uns vinte: O Albino, o José Almeida, o Tonho do Rossio (Covilhã)...

O Tonho Ribeiro e o Zé Rebelo (Castelo Branco)
O Francisco Rebelo, o João Travesso e o Zé Carreira (Abrantes)… Não fixei todos…
O Joaquim Abrantes vai sozinho para Elvas e eu para Lisboua

- Diogo, Tiago, Alfredo Pisco - camaradas da tropa em Lisboa…

- capitão Vieira
230 ordenança do capitão Vieira… para levar e trazer os filhos da escola…

- os oito de Manteigas… na Covilhã…
269 - …reconheceu o seu conterrâneo Alfredo Prisco
270 - … Estamos cá oito de Manteigas e agora contigo, passamos a nove…
285 – Zeca Serôdio… mais dois ficou um quarteto… Evaristo TrabucoZé Fadocas… 292 Tonho CalcanhotoJoaquim Garrfa

- O Sargento...
319 – O sargento dos queijos..

- João Castanho
15 e 16 - Amigo mais velho na fábrica… Tecelão já experiente

 

3.3 Personagens – secundários com nomes típicos (ALCUNHAS):

VER esta espantosa GALERIA DE FIGURAS TÍPICAS DE MANTEIGAS

Nomes e Alcunhas

1.     

Abrantes - João

… que ia para Elvas…

Nome – alcunha

59

2.     

Almeida – José

 

Nome – alcunha

16

3.     

almotacel

O almotacel deu a água  ao Ti Tranchão para regar as batatas… foi dar à horta do Zé Cortarrabos… que mandou o sacho… deixando-o estamourado…

…sachas, mondas e regas, orientadas pelo almotacel, ao qual deviam pagara a décima… (dízima? côngrua?)

Nome – alcunha?

PROFISSÃO

285

 

 

 

 

335

 

4.     

Badoca - Joaquim

…Joaquim Badoca dera-lhe um recado de Arminda que o deixou mais preocupado…

Nome – alcunha

326

5.     

baeta

…inda pela baeta dava para lavar no sábado… Aconchegou-se nas baetas de flanela e cobertores de papa…

Nome – alcunha

PROFISSÃO

 

89

6.     

Batocas

Rita Batocas…

Nome – alcunha

73

7.     

Borboleta - Zé

…Zulmira mandara para o filho, pelo Zé Borboleta, que residia nas portas do sol, um queijo de cabra curado…

Nome – alcunha

319

8.     

Botas - Zoé

…Fui ali dizer ao Zoé Botas, que tem de ir regar à quatro da manhã…

Nome – alcunha

336

9.     

Brojona -Maria

…Vieram as bruxas, pegou nele a t’iá Maria Brojona e levaram-no para o Tornáqua para… abrilhanteraem o baile… depois foi um lobishomem…

Nome – alcunha

343

10.  

Cachucha – Maria

…a t’á Maria Cachucha contou-me uma coisa que eu nem estava a acreditar…

Nome – alcunha

191

11.  

CÃES GRANDES

Os mais ricos que não são “corropios” nem “cardinchas”… carruagens de primeira classe para os CG…

 

 

Nome – alcunha

59

12.  

Carreira – Zé

O Zé Carreira ficou todo satisfeito porque na altura estava desempregado…

Nome – alcunha

15

13.  

Carreta - Zefa

chamar a Zefa Carreta… por causa do mau olhado…

Nome – alcunha

347

14.  

Carqueja – Zé

…reconheceu um homem da terra. Era o Zé Carqueja…

Zé Carqueja fora jornaleiro… Demandou Almada…

…agradeceu à mãe por o ter recomendado ao

Nome – alcunha

149

 

 

 

174

15.  

Cassilda

 

Nome – alcunha

75

16.  

Castanho – João

 

Nome – alcunha

15

17.  

CATRINO (ó)

O mesmo que catano …ó catrino!

O Ti Catrino, alcunhado de CUCO..

CCC_jpaixao_2012

Nome? Alcunha?

26

41

18.  

Chamiçada

… o forno crepitava com chamiçada de estevas…

 

73

19.  

Chamiceira

…a poia era entregue à forneira… que repartia com a chamiceira…

Nome – alcunha

77

20.  

CHATIADO

Chateado

CCC_jpaixao_2012

 

21.  

CHAVECOS

Habitantes da freguesia de S.Pedro, Manteigas

…os macarroncos queriam vir a São Pedro fazer uma arruada… , e os nossos , que chamam-nos de chavecos, como sabes, não deixaram…

…os chavecos festejam na avenida

CCC_jpaixao_2012

 

Nome – alcunha

 

 

 

267

 

 

 

283

22.  

Clotilde

…figura carismática que, de alforge às costas e de pés descalços… vinda do Sabugueiro (ver Santa Marinha?)… e fazer a troca de pinhões por castanhas…

Nome – alcunha

 

23.  

Contreiras - Xico

…o leiloeiro

Nome – alcunha

24

24.  

CORROPIOS

Pastores ou trabalhadores do campo

CCC_jpaixao_2012

 

Nome – alcunha

 

25.  

CUCO

Francisco CUCO

…reconheceu a voz do Ti Zé Cuco… puando o burro pelo rabeiro…

Nome – alcunha

10

200

26.  

Dantas – Felismino

Morreu o Senhor F D …patrão da fábrica do Torreão.

Nome – alcunha

191

27.  

Espeta Figos ?

 

Nome – alcunha

 

28.  

Espeta Filtros

Era o João Taveira, alcunhado de…

Nome – alcunha

68

29.  

Faltoso – Capitão

… sou eu, o Capitão Faltoso…

Nome – alcunha

 

30.  

FARNHOTE

O mesmo que farinheira… e (alcunha)

… os farnhotes dos ossos…

CCC_jpaixao_2012

Nome – alcunha (VER)

17

40

31.  

Fazendeiro – João

Tecelão que veio da covilhã

Nome – alcunha

49

32.  

Ferreiro – Alcides

…Quem o tem andado a tocar é o

Nome – alcunha

186

33.  

Fisgas - Zé

…o ti Zé Figas mandou-me recado para regar as couves…

Nome – alcunha

 

34.  

Forneira

…a poia era entregue à forneira… que repartia com a chamiceira.

Nome – alcunha

77

35.  

França – Josefina

… É a t’á Josefina França, que tem uma nascida má…

Nome – alcunha

 

36.  

Garrafa – Joaquim

…Acompanhado por Joaquim Garrafa

Nome – alcunha

292

37.  

Garrafão – João

(ver tempos de escola…)

Nome – alcunha

 

38.  

Grilo – José

Tecelão chefe…

Nome – alcunha

39

39.  

Ilda

…conforme me disse a D. Ilda…

(Dona Ida Capelo?)

Nome – alcunha

107

40.  

MACARRONCOS

Alcunha dos habitantes da Freguesia de Santa Maria – Manteigas

…os macarroncos queriam vir a São Pedro fazer uma arruada… , e os nossos , que chamam-nos de chavecos, como sabes, não deixaram…

CCC_jpaixao_2012

 

Nome – alcunha

 

 

 

267

41.  

MALTA DO GARRUÇO

Os trabalhadores rurais mais conservadores (termos usados para definir classe social)

CCC_jpaixao_2012

 

Nome – alcunha

 

42.  

Marquinhas

…o mestre ralhou-me ao apanhar-me na conversa com a t’a Marqinhas…

Nome – alcunha

 

43.  

Mazorro – João

…ao passar junto da casa de João Mazorro, ouvia-se cantar… “chapéu preto…”

Nome – alcunha

271

272

44.  

MEGELGRO

Pessoa franzina que se porta mal

-Saíste-me cá um megelgro!

CCC_jpaixao_2012

 

130

45.  

Moinhos – Maria

…lamentava-se a Maria dos moinhos…

Nome – alcunha

 

46.  

padrinho

Nome dado ao pai que foi o marido da mãe…

TRATAMENTO

11

47.  

Pai Fecisco

… na vereda de acesso ao Pai Fecisco…

Nome – alcunha?

Local?

67

48.  

peixeiro

Era o peixeiro, a apregoar em voz alta a venda de peixe fresco..

Nome – alcunha

100

49.  

Pisco – Alfredo

Disse Alfredo Pisco com satisfação…

Nome – alcunha

270

50.  

Pisco – José

Mestre da música…

Nome – alcunha

 

51.  

Pireta – Ti Maria

Pirete – ver

… a Ti Maria Pireta que tinha fama de bruxa…

Nome – alcunha

 

52.  

Pitéu – Joaquim

…Era o Joaquim Pitéu que vinha da ribeira…

Nome – alcunha

205

53.  

Prista – José

… mestre José Prsita tem puxado muito por ele…

Nome – alcunha

201

54.  

Rainha

…Beatriz Rainha, forneira do forno de fundevila…

Fermento … vim trazer o formoento à Beatriz Rainha…

Nome – alcunha

73

87

55.  

Rato – Zé

… o merceeiro…

…iria à loja do senhor Rato comprar o pitrólio…

Nome – alcunha

80 

109

56.  

Ratoeiro

…o filho do Zoé Ratoeiro…

Nome – alcunha

79

57.  

Rebelo – Zé

 

nome

16

58.  

Rendeiro – Manuel

Patrão do engenho…

…oferecido pelo patrão Manuel Rendeiro…

Nome – alcunha

50

118

59.  

Ribeiro – Tonho

 

Nome – alcunha

15

60.  

Rio - Zé

 

(na orelha da capa)

 

61.  

Ronca – Justina

Sabes o que dizem da Justina…

Nome – alcunha

 

62.  

Rossio – Tonho do

 

Nome – alcunha

16

59

63.  

Rufino

… patrão… com fama de mulherengo… Não tenho muitos estudos mas sei reconhecer o trabalho de quem o faz…

Nome – alcunha

314

64.  

SACARRABOS

Animal selvagem

…ouvia ruídos que lhe pareciam de raposas, lobos, ou sacarrabos…

CCC_jpaixao_2012

282

65.  

Santo – Joaquim

…Joaquim Santo… comércio na rua principal…

…encontrei o Ti J’aquim Santo…

Nome – alcunha

212

300

66.  

Serôdio – Zeca

…do Zeca Serôdio, seu vizinho, que trouxe novidades de Manteigas…

Nome – alcunha

283

67.  

Solteirão – Ricardo

 

Nome – alcunha

49

68.  

Tasgar – José

José Tasgar… fazia a distribuição do correio…

 

 

69.  

Tonho das Lãs

…eu sou António Dias, mas também me conhecem por Tonho das lãs…

Nome – alcunha

215

70.  

Torrado – Zoé

Tenho de falar com Zoé Torrado…

Nome – alcunha

47

71.  

Trabuco –Evaristo

…Evaristo Trabuco, em ar de chacota, contou mais uma das peripécias…

Nome – alcunha

285

72.  

Trabuco – José

O peixeiro … apregoava… José Trabuco, com o capote de burel… chapéu de feltro de aba larga…

Nome – alcunha

100

73.  

Tranchão

O almotacel deu a água ao Ti Tranchão para regar as batatas… foi dar à horta do Zé Cortarrabos… que mandou o sacho… deixando-o estamourado…

 

285

74.  

Travesso – João

 

Nome – alcunha

16

59

75.  

Tremoço – Manel

…ficou esperado…

Nome – alcunha

50

76.  

trigo

Na minha terra, quando pedimos um trigo, são quatro quartos de pão unidos entre si. (A Tá Marisoé (Mocha) do trigo, ao fundevila… na taberna da ponte…)

…é para dias de festa… ou para quando as pessoas estão a falecer…

 

154

 

 

155

77.  

Trocano

… um rapaz… alentejano da aldeia da Estrela…

Nome – alcunha

 

78.  

Valéria - Maria

…tinha o xaile preso pelas franjas ao da ti Maria Valéria…

Nome – alcunha

237

79.  

Viúva -Assunção

chamar a parteira T’iá Assunção Viúva…

Nome – alcunha

346

80.  

ZOÉ

José

CCC_jpaixao_2012

11

81.  

Zorro - Manel

… o vizinho Manel Zorro…

Nome – alcunha

 

82.  

Zulmira

 

Nome – alcunha

 


Nesta proposta nº 4 - vou desenvolvendo o esquema da proposta nº 3
(em baixo, pois, como já deu conta, esta página é para VER de cima para baixo e LER de baixo para cima!) a apresento:
01 - dados do autor e obra
1 - Narrador/es - 2 Narratário/s

01 - Notas sobre o Autor:
(orelha lado direita da Capa)

José da Cruz Paixão nasceu em Manteigas em Fevereiro de 1944. Estudou tecelagem e debuxo, na Escola Industrial e Comercial Campos Melo da Covilhã.
Dedicado ao associativismo participou na constituição: Cooperativa Jornalística de Manteigas e orgânica do Notícias de Manteigas; ASE - Associação Cultural dos Amigos da Serra da Estrela, e Revista Zimbro; Turmontanha - Cooperativa de Turismo de Montanha; TuriManteigas - Sociedade Imobiliária e Turística de Manteigas, Lda; Associação do Centro Cívico de Manteigas; Clube de Caça e Pesca de Manteigas.
Dedicou-se à caça e pesca e na política, foi Membro da Assembleia Municipal e da Assembleia da Freguesia de Santa Maria de Manteigas.
Terminou a carreira profissional como debuxador.
Dedicou-se à pintura a óleo sobre tela e às esculturas, com pseudónimo, ZERIO.
Por fim, quis experimentar a construção de um livro.
Este. O primeiro.

na contra Capa
"Simbiose perfeita para desenvolvimento de Manteigas: Montanha, Zêzere, Indústria.

1. NARRADOR (não é o autor. é a 1ª criação do autor...)
- NARRADOR HETERODIEGÉTICO… com visão omnisciente, que, além da omnisciência dos factos narrados, domina os estados de espírito, as dúvidas, hesitações, e intervém nas decisões certas ou erradas dos Personagens Principais… e até de alguns secundários…

1. NARRADOR/ES? - outros possíveis de identificar?:
2 Ver descrições nas cartas de Arminda…
3 Um ou outro personagem nos diálogos frequentes…

2. NARRATÁRIO/S?
- (Não leitor ou ouvinte) mas os destinatários, que o Narrador / Autor tem em mente no acto da narração… que existe sempre, mas muitas vezes não é expresso…
Entretanto, ver na dedicatória, os possíveis narratários que o (autor), escolhe como alvos do narrador, ou da forma como vai contar a história do Alexandre…:
À Madalena, esposa… Ao filho Nuno José… aos netos Nuno Diogo e Dinis Alexandre, à Nora Paula, família, amigos e gente de Manteigas.
Mas convém tentar ver os possíveis leitores que o autor / narrador tem em mente para além destes mencionados…

2012 08 05...
proposta 03 - de jorga.net
Esta proposta nº 3 alarga um pouco a complexidade de um estudo a fazer...
Como toda a gente sabe, há uma imensidade de teorias e propostas como instrumentos fiáveis de uma sólida e objectiva ANÁLISE LITERÁRIA... Nesta proposta com uma tabela a cinzento, damos uma série de ligações para consulta... que evidentemente podem e devem ser complementados com outras teorias... a presentamos, já, uns tópicos - sugestões, para aplicação na obra do josé Paixão... Vamos apresentrar sucessivamente, trabalhps que nos enviem e alguns estudos que estou a desenvolver... sempre em ordem decrecente... os mais recentes vão aparecer primeiro, nesta página, a ver de cima para baixo, mas a ler de baixo para cima...

Corropios, Cardinchas e Cães Grandes

Ensaio de uma Análise Literária

notas complementares… levantamentos diversos

por José Rabaça Gaspar – http://www.joraga.net/serradaestrela/index.htm

Ficha Técnica:

Título: Corropios, Cardinchas e Cães Grandes,

Chiado Editora, Agosto de 2012

Autor:

Texto – José da Cruz Paixão

 

01

Título

Corropios, Cardinchas e Cães Grandes

02

Autor

José Paixão

03

Editor

chiadoeditora.com

04

Apresentação

Manteigas – 11 de Agosto de 2012
(prévia,Lisboa 14 de Julho)

ESQUEMA BASE com breves notas a pedir outras opiniões...

(ver mais propostas possíveis em GLOSSÁRIO)

1.

NARRADOR/es

1 Heterodiegético, omnisciente… nesta obra… o narrador não entra na história contada, mas podemos:

2 Ver, por ex. nas cartas (de Arminda e Alexandre… conversas…), descrições e reflexões… e

3 Um ou outro personagem nos diálogos frequentes…

2.

NARRATÁRIO/s

Ver na dedicatória, os narratários, a quem, aparentemente, o narrador de dirige:
À Madalena, esposa…
Ao filho Nuno José…
aos netos Nuno Diogo e Dinis Alexandre,
à Nora Paula,
à família, amigos e gente de Manteigas… Será?

3.

Personagem/ns

PRINCIPAL – Alexandre ou Alexndre e Arminda?

SECUNDÁRIAS 1 – A/s famílias dos dois?

SECUNDÁRIAS 2 – Amigos, na terra e na tropa?

INDIVIDUAIS / COLECTIVOS – ver os três grupos do título (corropios - cardinchas e cães grandes)… os magalas… os do barrete - os que vão às sortes... os apurados… os chavecos e os macarroncos…

4.

TEMPO

O TEMPO – encadeado (encaixe – alternado)

- DA HISTÓRIA (cronológico) – vai de 1 de Fevereiro de ???? a 1 de Fevereiro, dois anos depois…

- DO DISCURSO (encadeado, desde (a escola) o apuramento para a tropa, ao casamento… ou comalgumas: elipses… analepses e prolepses… isocronias (nos diálogos e cenas) … com resumos ou sínteses…

- PSICOLÓGICO… ver por ex. a passagem fugaz do tempo nos longos encontros amorosos…

5.

ESPAÇO

O/s ESPAÇO/s – FÍSICO – SOCIAL – PSICOLÓGICO… e notas sobre o "visualismo"... ver as características da identidade social local e regional…

6.

MODELO ACTANCIAL

Adjuvantes – Sujeito – Opositores

Destinador/es - OBJECTIVO – Destinatário/s

7.

ANÁLISE Estrutural SEQUENCIAL:

SEQUÊNCIAS de rotura / ruptura / que determinam a avanço da história…

Sequências

- encadeadas…

- alternadas…

- inseridas…

8.

DESCRIÇÃO
Catálises
- INFORMANTES
- INDÍCIOS / ÍNDICES – …

INFORMANTES

INDÍCIOS / ÍNDICES

9.

Elementos de enriquecimento Literário… FIGURAS DE ESTILO…

Oralidade e VISUALISMO… sons… cores… movimento… cinestesia… e sinestesia

FIGURAS DE ESTILO

- de sintaxe

- de pensamento

- Tropos ou imagens

- Onomatopeias – palavras imitativas… … Aliterações

- A ironia contida à beira do cinismo e do sarcasmo…

- A adjectivação… justa… por vezes dupla… e a hipálage

10.

Intertextualidade

Autores e obras referidos e ou citados…

11.

Género literário

Género literário – entre a auto-biografia – memórias... comentários… com laivos de e o histórico… décadas… crónicas… quase a aspirar a romance histórico… com alguma poesia e cenas de pendor marcadamente dramático… teatral…

 

- Qualidades: Clareza, correcção, pureza, harmonia… (leitura elegante) …

Fuga a galicismos e estrangeirismos apesar da formação dispersa… salientar o uso de termos locais por ex. em nomes de lugares (toponímia)... nomes e alcunhas de pessoas... na pronúncia e em expressões populares típicas...

“com simples e claras palavras”…

- Naturalidade e originalidade...

Estilo simples… (sem ornatos…) linguagem denotativa…

 

- Estilo médio temperado… expressão apurada com uso moderado de ornatos… denotativa com conotativa…

 

- Estilo sublime. Solene e majestosa… sentimentos e conceitos elevados… com elegância, eloquência e abundante emprego de ornatos… predominância da linguagem conotativa…

vai continuar com as 11 alíneas - ACIMA!

2012 08 04...
proposta 02 B- de jorga.net

...em vez de um estudo acabado, decidi ir propondo aqui alguns instrumentos e elementos de análise literária,
que podia ir tendo a colaboração de pessoas interessadas nestes assuntos... estudantes? leitores? professores? curiosos?

Aqui e AGORA proponho que copie esta ficha em amarelo... cole num documento do WORD... preencha... e se lhe der gozo... prazer de LER e de FAZER... envie-ma, com autorização de ser divulgada... será um prazer comunicar com outros leitores e conseguir ir construindo algo de novo e criativo...

FICHA de LEITURA

(adaptação de uma proposta da Escola Secundária/3 José Cardoso Pires - Lisboa )
(podemos adoptar para um
CLUBE DE LEITORES de MANTEIGAS)

Nome:

 

N.º:

 _____


Título da obra:

 

 

Autor:

                                              

Edição N.º:

 

Editora:

 

 

Local:

 

Ano de publicação:

 


Classifica a obra (sublinha a opção correcta):

Ficção romanesca / policial / científica / histórias maravilhosas e fantásticas / narrativa histórica / teatro / poesia / diário / aventuras / crónicas

Outra (escreve qual): _______________________________________________

 

 

Curta biografia do autor (5-7 linhas):

 

 

 

Bibliografia activa do autor:

 

 

 

Bibliografia passiva sobre o autor:

 

 

 

Resume a obra:

 

 

 

 

 

 

Qual a personagem (ou situação) de que gostaste mais? Justifica:

 

 

 


Apresenta a tua opinião crítica sobre a obra.

 

 

 

 


 

Data do início da leitura:

 

 

____/____ /20____

 

Data do fim da leitura:

 

____/____ /20____

 

2012 08 04...
proposta 02 A - de jorga.net

Apresento aqui, uma ficha de leitura de um aluno de Póvoa de Lanhoso sobre um livro conhecido, de um autor muito conhecido... E se apicássemos esta ficha ao livro de José Paixão?
(copie a ficha... Cole num documento do Word... preencha substituindo as respostas e envie-me...


Ficha de leitura
In http://ramoslol.blogs.sapo.pt/3441.html

Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso
Ficha de Leitura N.º 3 (Contrato de Leitura)
Português 10.º Ano·- 2006-2007
Aluno: Rui Miguel Fernandes Ramos N.º 22

1. IDENTIFICAÇÃO DO LIVRO
a. Título da obra: A Pérola (The pearl).
b. Editora: "Livros do Brasil".
c. Local - Lisboa. Data (1.ª publicação tradução) - 11/1998? (1996) (original 1947)

2. IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR:
a. Nome / Pseudónimo: Jonh Ernest Steinbeck
b. Dados biográficos. Chegou a estudar Biologia.
Nascimento (Local e data): Califórnia 27 de Fevereiro de 1902.
Profissão: Escritor.
Morte (data): 20 de Dezembro de 1968.
Episódios marcantes da sua vida: Em 1962 foi-lhe outorgado o Prémio Nobel de Literatura
Obras publicadas pelo autor: A Taça de Ouro; Pastagens do Céu; Ratos e Homens; etc.…

3. Análise da obra
Tipo de texto: Narrativo e bastante descritivo;
Género literário: Romance;
Tema estruturante: O amor pela Pérola;
Sumário da obra (+- 100 palavras):
É uma história comovente de uma pérola enorme, de como foi descoberta e de como se perdeu, levando com ela sentimentos e sonhos, bons e maus que representava, mas também a história de uma família e da solidariedade especial entre uma mulher (Juana), um pobre pescador (Kino) e o filho de ambos (Coyotito).
Tipo de linguagem:
Registo de línguas: Trata-se de um registo de língua corrente.
Recursos expressivos: Comparação, Metáfora, Hipérbole, Antítese, Aliteração, etc.
Personagem(ns) preferida(s): Juana.
Aspectos marcantes: Pela sua determinação em salvar o seu filho.
Outras personagens em destaque: Kino, Coyotito e o Padre.

4. APRECIAÇÃO CRÍTICA DA OBRA:
Algumas palavras novas encontradas: silvo, espasmos, cataplasma, crepúsculo, relutância, acocorou, calafetada, etc.
Frases marcantes:"…ódio surdo."
"Mas o cérebro de Kino estava em brasas".
" A grande pérola foi embrulhada numa velho pedaço de camurça…"

Três boas razões para ler este livro:
1) Por se tratar de algo muito valioso (pérola).
2) História interessante;
3)
Aspectos mais positivos: Poucas personagens.
Aspectos mais negativos: Muita descrição.

 

2012 08 03...
proposta 01 - de jorga.net

Um diaporama para acompanhar com algumas imagens a leitura e o esboço de análise da obra

PODE VER AQUI

Veja imagem a imagem ou peça a APRESENTAÇÃO E VÁ CLICANDO...
DIVIRTA-SE como eu me diverti e me vou divertindo e aprendendo...

 

2012 07 27

AQUI pode ver já o anúncio deste EVENTO - Apresentação pública em Manteigas
no dia 11 de Agosto, às 21h30, no Auditório do Centro Cívico de Manteigas.

Pode ver no facebook - os amanteigas - in

https://www.facebook.com/events/331371746949790/permalink/337409893012642/

ver também na Página da Câmara de Manteigas:

http://www.cm-manteigas.pt/agenda/cultura/Paginas/corropios-cardinchas-caes-grandes.aspx

«'Corropios, Cardinchas e Cães Grandes', é uma obra da autoria de José Paixão e editada pela Chiado Editora.
«Após alguns meses a urdir e a tecer num misto de ficção com a realidade dos anos 30/40, pretende este livro homenagear as gentes serranas e manteiguenses.»
«'Corropios, Cardinchas e Cães Grandes', tem a finalidade de preservar valores ancestrais no domínio da etnografia, sociologia, antropologia e filosofia manteiguense, onde as vivências sobressaem e o romance acontece.»

Com data de 27 de Julho de 2012 - Convite da Câmara Municipal de Manteigas,
para APRESENTAÇÃO PÚBLICA do livro «Corropios, Cardinchas e Cães Grandes,
dia 11 de Agosto de 2012, pelas 21H30,
no Auditório do Centro Cívico de Manteigas.

Com data de 05 de Julho de 2012 - Convite de José da Crus Paixão,
para laçamento do livro «Corropios, Cardinchas e Cães Grandes,
dia 14 de Julho de 2012, pelas 15H30,
na Livraria 'Les Enfants Terribles', Rua Buklhão Pato, 1, Lisboa
(junto ao Teatro Maria Matos).

 

Sempre que visite esta página e tenha elementos ou críticas ou sugestões, CONTACTE joraga

 

E-Mail: joraga@netcabo.pt e joraga@netc.pt
pelo telefone 212 553 223 ou pelo Telmv. 917 632 524
e pelo CORREIO: Rua Almada Negreiros, 48 - 2855-405 CORROIOS.
visite ainda a minha TEIA na REDE além de joraga.net - joraga.net/gilViTeatro/cart2325/bart2838/alice2000rgGaleria

Compatível com IE/Netscape na resolução 800x600
Joraga 2000 em viagem