Serra da Estrela - Manteigas

in joraga.net aminhaTEIAinterminávelnaREDEilimitada

um ANDARILHO em viagem pelas
7 partidas... 7 jornadas... 7 mundos... 7 mares... 7 temas... 7 espaços... 7 tempos...

por JORAGA o acrónimo de JOsé RAbaça GAspar e outros mais de 1001 deNÓMIOS...

contacto © joraga - ® em construção desde Maio 2000 in joraga2000 - em rec. Outubro de 2002

 

José Cleto Estrela (José Magalhães)

 

LENDO O LIVRO de José Cleto Estrela
Aquele Profundo Vale


AS FÁBRICAS QUE FORAM DESAPARECENDO…

AQUELE profundo VALE

MANTEIGAS
FÁBRICAS DE LANIFÍCIOS 

Essa Manteigas, d’outrora,
Que aqui vou lembrar agora,
Com saudades, redobradas;
Foi perdendo os benefícios
Que tinha dos lanifícios:
Tantas Fábricas fechadas!...

 

algumas imagens para completar o cenário, onde as pessoas viv(em)iam… 

Para se ambientar e ler melhor o livro do Zé Estrela, sugiro que visite:

http://portugalfotografiaaerea.blogspot.pt/2012/06/manteigas.html

«Em 1524 o Rei D. João III reconhecia a vila como centro vertical que trabalhava a lã desde a sua produção até ao acabamento dos tecidos. Existiam nessa altura já 3 pisões (pisavam-se os panos) em Manteigas.

Foram estas referências que conduziram em 1679 à criação na vila de uma grande Manufactura, a segunda da Serra da Estrela. O Conde da Ericeira invocara no ano anterior que “o trato dos moradores de Manteigas todo é de panos e todo é de lãs... Corre o rio Zêzere pela mesma vila com grandíssima abundância de águas”. / Fonte. http://www.rt-serradaestrela.pt »

https://picasaweb.google.com/tolivio/ManteigasPortugal#5134325941124097090

 «MANTEIGAS – ÚLTIMAS SETE DÉCADAS DO SÉCULO XXReferência:
- Fábricas de Lanifícios»

in ‘Aquele Profundo Vale’ de José Cleto Paixão 

Refrão

«Ai, que saudades do Martins,

Do Outeiro e Barracão.

Dos Fragas, dos Moinhos,

Da Matufa e do Pisão.

Dos velhos teares de pau,

Das baetas e escocês.

Apesar de um tempo maus,

Quem mo dera outra vez!...»

(Na tabela seguinte, a evocação das FÁBRICAS de LANIFÍCIOS,
que foram desaparecendo, saudosamente lembradas pelo José Cleto Estrela:

 

A FÁBRICA DO MARTINS

MANTEIGAS
FÁBRICAS DE LANIFÍCIOS 

Essa Manteigas, d’outrora,
Que aqui vou lembrar agora,
Com saudades, redobradas;
Foi perdendo os benefícios
Que tinha dos lanifícios:
Tantas Fábricas fechadas!...

A FÁBRICA DO OUTEIRO

 

Algumas foram queimadas,
Pelas chamas, devoradas,
Que inda ferem nosso olhar!
Outras caíram velhotas,
Como quem arrasta as botas,
Sem poderem caminhar!... 

A FÁBRICA DO BARRACÃO

Refrão

 Ai, que saudades do Martins,
Do Outeiro e Barracão.
Dos Fragas, dos Moinhos,
Da Matufa e do Pisão.
Dos velhos teares de pau,
Das baetas e escocês.
Apesar de um tempo maus,
Quem mo dera outra vez!... 

A FÁBRICA DOS FRAGAS


 

Só a Boqueira, avançou,
Progrediu, se transformou,
Na Sotave e no império!...
Com a do Rio inserida,
Deus lhe dê bem longa vida;
Se se vão, o caso é sério!...

A FÁBRICA DOS MOINHOS


 
A de S. Gabriel, lá vão indo,
Lá vai indo e vai caindo,
Não há cunha que lhe valha!...
Com tão boas condições,
Lá sabem eles as razões;
Só o lavadouro trabalha!

A FÁBRICA DA MATUFA


 
Essas fábricas, perdidas,
Davam jeiro a muitas vidas,
Voltando a laborar.
São, porém, de um passado,
Que dormiu, talvez cansado,
P’ra nunca mais acordar!...

A FÁBRICA DO PISÃO

Refrão

 Refrão

 Ai, que saudades do Martins,
Do Outeiro e Barracão.
Dos Fragas, dos Moinhos,
Da Matufa e do Pisão.
Dos velhos teares de pau,
Das baetas e escocês.
Apesar de um tempo maus,
Quem mo dera outra vez!...

A FÁBRICA DA BOQUEIRA – SOTAVE (com a do RIO)

 

Refrão

 Refrão

 Ai, que saudades do Martins,
Do Outeiro e Barracão.
Dos Fragas, dos Moinhos,
Da Matufa e do Pisão.
Dos velhos teares de pau,
Das baetas e escocês.
Apesar de um tempo maus,
Quem mo dera outra vez!...

A FÁBRICA DE SÃO GABRIEL (O LAVADOURO)

 

Refrão

 Refrão

 Ai, que saudades do Martins,
Do Outeiro e Barracão.
Dos Fragas, dos Moinhos,
Da Matufa e do Pisão.
Dos velhos teares de pau,
Das baetas e escocês.
Apesar de um tempo maus,
Quem mo dera outra vez!...

A FÁBRICA DOS AMIEIROS VERDES

(que faz renascer a esperança em 10 de Maio de 1946)

 

 

Refrão

Refrão

 Ai, que saudades do Martins,
Do Outeiro e Barracão.
Dos Fragas, dos Moinhos,
Da Matufa e do Pisão.
Dos velhos teares de pau,
Das baetas e escocês.
Apesar de um tempo maus,
Quem mo dera outra vez!...

A SOTAVE e LANIFÍCIOS IMPÉRIO

 

Refrão

Refrão

 Ai, que saudades do Martins,
Do Outeiro e Barracão.
Dos Fragas, dos Moinhos,
Da Matufa e do Pisão.
Dos velhos teares de pau,
Das baetas e escocês.
Apesar de um tempo maus,
Quem mo dera outra vez!...

 

A seguir, mais umas imagens e ligações, para ir completando as propostas de visita do autor, não só para nos levar ao passado, mas para que se possa enraizar o desenvolvimento imparável de um FUTURO sustentado, enraizado nas potencialidades locais…

«A Câmara Municipal de Manteigas candidatou ao QREN um projecto de instalação de uma área de produção de energias limpas na antiga Fábrica do Rio.»

http://capeiaarraiana.wordpress.com/category/beira-alta-guarda/manteigas/page/2/  

«Típica povoação de montanha, a 700 metros de altitude, recolhida no belíssimo vale glaciar do rio Zêzere, todo ele verde, com muitas casas e igrejas caiadas de branco e, em muitos dias, de neve. O rio passa veloz, num leito rugoso de granito, rodeado de lameiros, onde nasce o milho, cresce o pasto e rebanhos de ovelhas bordaleiras pastam. O casario povoa, com ruas de ar antigo, toda a meia encosta da margem esquerda do Zêzere ao longo de um anfiteatro semi-circular que o rio desenha.»

https://picasaweb.google.com/tolivio/ManteigasPortugal#5134951885362855650

«O Conde da Ericeira invocara no ano de 1678 que “o trato dos moradores de Manteigas todo é de panos e todo é de lãs... Corre o rio Zêzere pela mesma vila com grandíssima abundância de águas”.

https://picasaweb.google.com/tolivio/ManteigasPortugal#5134326082858017890

Fábrica de São Gabriel -

«História Administrativa: Empresa de tipo comercial e industrial, constituída por escritura notarial em 7 de Abril de 1882, com a finalidade de fabrico de lanifícios e comércio de lã. Laborava em Manteigas. Foi uma importante unidade industrial têxtil de finais do século XIX. Estava equipada com maquinaria de ponta daquele tempo, adquirida pelos seus proprietários no estrangeiro.

Constituído composto por documentos manuscritos, fotografias, plantas de máquinas da indústria têxtil, correspondência e outros, relevantes para estudo da história da fábrica têxtil de São Gabriel, em Manteigas, propriedade da família Matos Cunha. …Actualmente encontra-se falida, abandonada e em adiantado estado de degradação.»

Mas pode ver in JORNAL A GUARDA de 2009 01 08 - uma interessante proposta:

Recuperação de antiga fábrica de lanifícios São Gabriel

Está em fase de análise e apreciação técnica o projecto de requalificação da antiga Fábrica de Lanifícios São Gabriel, em Manteigas. a apresentação pública do projecto está programada para este mês de Janeiro (2009).

O projecto "Reconversão do Complexo Fabril de São Gabriel - Requalificação Urbana" está a ser levado a cabo em articulação e colaboração com a Câmara Municipal de Manteigas e a entidade proprietária do espaço.

A requalificação pretende a construção de um Centro de Ciência Viva do ambiente, Centro de Floricultura, Portas de entrada do Concelho, apartamentos Turísticos, Centro de interpretação do Parque Natural da Serra da Estrela, Estância de Repouso e Reabilitação, Parque Botânico, aproveitamento Hidr-Eléctrico e Espaço Museológico dos Lanifícios.


Foto da Família Mattos Cunha - anos cinquenta do Séc. XX
(Se alguém conhece e puder dizer os nomes, eu posso inserir...)
(Álbum Elísio R Gaspar - 1907 - 1972)
 


Escritório da Fábrica de Lanifícios Mattos Cumha, Manteigas.
Na foto: Elísio Rabaça Gaspar, Guarda-Livros
José Rabaça Serra - Contabislista
(Álbum Elísio R Gaspar - 1907 - 1972)

 

https://picasaweb.google.com/tolivio/ManteigasPortugal#5134901269173272162

«Manteigas – No coração da Estrela - A vila situada no coração da Serra da Estrela é um dos mais antigos locais de fabrico e tratamento de lanifícios do país.»

https://picasaweb.google.com/tolivio/ManteigasPortugal#5134325649066320898

Ver ainda POSTAIS ANTIGOS de MANTEIGAS – Câmara Municipal de Manteigas

http://www.cm-manteigas.pt/fotografia/Paginas/default.aspx

 

Com esta ‘LEITURA’ das FÁBRICAS que foram desaparecendo em MANTEIGAS,

no livro “AQUELE PROFUNDO VALE”, de José Cleto Estrela, 2003,

UM APELO aos que quiserem e tiverem sugestões para o crescimento, desenvolvimento e progresso de MANTEIGAS…
HÁ já, outros PROJECTOS, já realizados...

 

E-Mail: joraga@netcabo.pt e joraga@netc.pt
pelo telefone 212 553 223 ou pelo Telmv. 917 632 524
e pelo CORREIO: Rua Almada Negreiros, 48 - 2855-405 CORROIOS.
visite ainda a minha TEIA na REDE além de joraga.net - joraga.net/gilViTeatro/cart2325/bart2838/alice2000rgGaleria

Compatível com IE/Netscape na resolução 800x600
Joraga 2000 em viagem